sábado, 6 de julho de 2013

Fábio 500 jogos!!!

Postado por @detetiveazul Ás 07:42
Já vi diversos blogs escreverem sobre a importância da marca de 500 jogos que o Fábio vai atingir hoje. Alguns postaram dados e outros fotos. Meu intuito é outro.
Fábio não é unanimidade dentro da torcida, mas convido a todos a pensar comigo.
De todos os 499 jogos que o goleiro fez, nunca tivemos uma defesa sólida. Sempre o Cruzeiro tinha uma probleminha. Era falta de laterais, zagueiros lentos. Não Concordam?
Eu sou um dos maiores críticos de goleiros, mas gosto do Fábio.
O problema de ser goleiro a tantos anos do Cruzeiro é que alguns jogam em cima dele a falta de títulos.
É muita hipocrisia e covardia isso.
Hoje o Fábio vai completar a marca de 500 jogos pelo Cruzeiro. Um feito assim é digno de admiração. Futebol atual é muito capitalista. Jogador não tem mais identificação com o clube. Então aparece o Fábio para ser exceção. Futebol pode ser um trabalho para ele, mas como jogar 500 jogos por um clube e ser possível não amá-lo. Já são 09 anos de Cruzeiro. Já podemos considerar o Fábio ídolo? Eu acredito que sim.
Jogar 500 vezes com a camisa do Cruzeiro deve ser uma honra muito grande. Muitos torcedores, inclusive eu, ficariam honrados em jogar apenas um jogo com o manto celeste. Imagina 500? Que inveja que tenho de você Fábio! Inveja boa...
Desejo ao Fábio que complete 1000 jogos com a camisa do Cruzeiro

quinta-feira, 20 de junho de 2013

O título que mais me emocionou

Postado por @detetiveazul Ás 08:15


Esta coluna semanal será um instrumento para Relembrar as inúmeras páginas heroícas.
Pra começar, escolhi o título que mais me emocionou.
Falo do título da Copa do Brasil do ano 2000.
Naquele ano os times da Libertadores entraram na competição a partir das oitavas-de-final, conforme regulamento este ano.
Eu não acreditava muito no título, por existirem times muito mais qualificados, mas como verdadeiro Cruzeirense fui em todos os jogos no Mineirão.
Conforme o time foi avançando, mas confiante eu ficava.
Não irei relatar o Campeonato Inteiro. Quem quiser saber o caminho traçado pelo Cruzeiro entre neste link 
Os dois jogos da final foram os mais emocionantes que vivi como torcedor Cruzeirense.
O primeiro jogo, em São Paulo terminou em 0 a 0. Confesso que eu não vi o jogo. Estava muito nervoso. Preferi saber o resultado depois. Quando meu cunhado me contou que o jogo foi 0 a 0 eu fiquei todo empolgado.
No segundo jogo, o Mineirão estava lindo e lotado (Público de 85.841)  O time que foi a campo: André, Rodrigo, Cris, Cléber, Sorín, Marcos Paulo, Ricardinho, Donizete Oliveira, Jackson, Oséas e Geovanni.
Lembro que o jogo foi muito disputado. Quando Marcelinho Paraíba, aos 65' minutos de jogo, fez o primeiro Gol para o São Paulo, o Mineirão calou-se por segundos, mas a torcida não deixou de apoiar.
Já davam o São Paulo como campeão...
Eu estava muito ansioso, e esperava a reação do Cruzeiro. Confesso que não lembro muito os lances do jogo, tamanho meu nervoso. Aos 80' minutos, Fábio Júnior empatou o jogo. A torcida cresceu. Pouco tempo após o Gol, acontece a falta na entrada da área. Zagueiro paulista Rogério Pinheiro foi expulso. A partir deste momento eu olhava fixo para o Gol. Só depois em casa que fiquei sabendo da conversa do Muller com o Geovanni. Na hora que a bola estufou as redes foi um dos melhores momentos que vivi ali na Toca 3. Mineirão tremeu! Melhor de tudo era saber que os Paulistas já consideravam os campeões.
Mais o melhor pra mim, foi chegar em casa e ver meu filho de 13 anos chorando emocionado e gritando: "É campeão". Acho que por isto esse título se tornou tão importante pra mim. Ali eu vi que minha paixão Cruzeirense foi deixada de pai, para filho.

Conversei com alguns seguidores sobre este título e sobre o Brasileirão 2013. Vejam:


Qual sentimento você sentiu no quando o Geovanni fez o Gol?

@guilhermehsj "O sentimento foi incrível. Eu era menino e era o primeiro título que eu poderia ver mesmo, depois qe entendo as coisas. Lembro que chorei. Depois do Gol, eu tremia e estava muito muito feliz

@Andrebertolini "Foi muito emocionante, coração parou na hora da falta depois bateu a mil por hora."

@lucasidms "Foi espetacular. Um gol de falta é umas das coisas mais lindas do futebol, fazer em uma final então é pra marcar o nome na história. Assim como Joãozinho fez em 76, Geovanni foi feliz no chute e a bola passou no meio da barreira, enganando o Rogério e explodindo de
alegria o Gigante da Pampulha. Acho que nem o gol do Elivelton em 97 foi tão emocionante e tão comemorado quanto esse do Geovanni."


Qual é a maior lembrança do título conquistado?

@guilhermehsj minha lembrança é a rapidez do Giovanni. Tomou a bola e eu gritei É Gol, é gol. Mas veio a falta e fiquei apreensivo. Mas a bola entrou. Lembro do gol com a jogada do Müller e do F. Jr, e lembro do título. Grite e comemorei muito com meu pai que me ensinou a ser cruzeirense".

@Andrebertolini "Sobre a copa do Brasil, foi um sentimento de euforia. Muita pressão, todos esperando o SP ser campeão de repente aquele gol. Depois o muller falabdo que conversou antes da falta com o Giovanni pra ele bater por baixo da barreira."

@lucasidms "A defesa do André, aos 49 do segundo tempo. Depois da falha no gol do São Paulo, parecia que ele sairia como vilão da noite. Mas veio a virada do Cruzeiro e no último lance do jogo, em uma cabeçada do Marcelinho Paraíba a queima-roupa, André teve um poder de reação impressionante e buscou a bola fazendo uma defesa incrível(contando, claro, com a ajuda do grande Clebão) para dar o tricampeonato da Copa do Brasil ao Maior Clube de Minas."



O que espera do Cruzeiro neste Brasileiro?

@guilhermehsj  "Neste ano o Cruzeiro montou um baita time. Tenho pés no chão e sei que o time em formação, nao deve ser campeão, mas é um baita time. Luta sim por Libertadores e tende a ser um dos times mais vencedores da história. Expectativa como cruzeirense é sempre a melhor. Vamos com tudo voltar a ser os melhores de MG, e chegando a melhor posição possível, e lutando nas cabeças!".

@Andrebertolini "Brasileirao: espero que o cruzeiro vá se acertando e faça um ótimo campeonato. O cruzeiro tem pecas importantes de respeito... Todos os times sabem do perigo de jogar comno cruzeiro, da importancia da torcida. Titulo será um sonho. Sabemos do potencial".

@lucasidms "Não espero nada além de uma sulamericana, torço muito para classificar para a Libertadores e acho improvável, mas não impossível, o título brasileiro. Devemos montar uma boa base para as próximas temporadas e contratar um ou dois reforços para brigar na parte de cima da tabela. Tem que aproveitar ao máximo os jogos em casa como em 2008 e ter a vontade e o espírito de equipe de 2010."


Sigam-me no twitter: @detetiveazul




sábado, 1 de junho de 2013

Br' 13 - Cruzeiro x Cruzeiro

Postado por Fernando Paiva Ás 20:07
Criamos, criamos, criamos e perdemos para nós mesmos
Fala, China Azul!!

Engraçado como um time pode perder para ele mesmo, não? Fatalmente. Criamos, criamos, criamos e pecamos na finalização. Diversas e inúmeras vezes tivemos a oportunidade de pular na frente no placar, mas eis que a falta de pontaria e a procura por um refinamento desnecessário foi prejudicial. 

O Cruzeiro foi melhor, teve as melhores oportunidades, trabalhou bem a bola, quando o psicológico permitia tal feito mas, não fez. E como já dizia o ditado: "quem não faz, toma". 

Aos 6 minutos, Leandro Guerreiro errou terrivelmente e o Botafogo abriu o placar. 

ALGUÉM POR FAVOR ME EXPLICA O POR QUE DO GUERREIRO AINDA SER TITULAR? OBRIGADO.

Cruzeiro tomou o golpe e demorou um pouco para se estabilizar. Nesse curto período o Botafogo manteve o controle do jogo, porém, sem criar muito. Depois o time voltou a jogar melhor e a criou novas chances.

Então aos 23 minutos do primeiro tempo, eis que me aparece a figura: Anselmo Ramon, (outro que na minha visão não devia nem se quer fazer parte do grupo) o jogador entrou pro Inacreditável Futebol Clube, perdendo não só uma, mas duas chances cara-a-cara com o goleiro Renan.

Aposto que como eu, você, na sua casa, frente a televisão xingou e muito o "Ramon" depois daquele lance incrível e como não podia ser diferente, ele mesmo, fez o gol do empate, numa baita de uma "cagada". Vai ter sorte assim lá em Marte viu...

Cruzeiro continuou com as rédeas da partida, criou mais chances, porém não marcou. Voltamos melhor também para o segundo tempo, tocando a bola, mantendo o nosso ritmo. Até que, Niltão, comete um pênalti INFANTIL,(em maiúsculo, porque "pela mor de Deus" ein Niltão...) tudo bem que o juizão deu uma colaborada, e mostrou uma baita de uma boa vontade pra marcar o penalti, mas, na área não se faz aquilo não, cara.

Tomamos o gol...

((Parenteses))
Caros torcedores, vocês acreditam que depois do pênalti, teve mula, xingando o Fábio e o comparando com o Victor, só porque ele não defendeu???????????????? AONDE VAMOS PARAR????????????

Sofremos mais uma vez o golpe e dessa vez foi fatal. Não encaixamos mais um ataque bom, uma ou outra oportunidade, ficamos desesperados, os passes passaram a não entrar e quem se aproveitou disso foi o nosso adversário, que manteve o jogo como quis e acabou levando os 3 pontos.

Vale ressaltar também, as fracas mexidas do nosso técnico, que na minha visão foram erradas e por isso não surgiram efeito algum, porém, isso é tópico para outro post. 

Bom, foi isso, a exemplo da semana passada, perdemos pontos que não deveriam ser perdidos e não precisavam ser perdidos. 5 pontos, totalizando, que no final poderão fazer muita falta.

"Agora é levantar a cabeça, ter fé em Deus, seguir trabalhando pra conquistar os três pontos na próxima partida.".

Saudações celestes.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Campeão em Terborg

Postado por Redação Ás 16:28
Cruzeiro venceu mais uma vez o Torneio de Terborg! É a terceira conquista seguida e quinta alternada. Agora a Taça de Terborg ficará definitivamente na Toca da Raposa I. 


A jornada começou logo pela manhã com a disputa da semifinal contra o Ajax de Amsterdam. Fizemos 2 X 0 e consolidamos a fama de fregueses que os batavos têm. pois já é o terceiro ano consecutivo que os excluímos da possibilidade de ganhar o torneio. E olha que em Terborg quase todos são torcedores do Ajax. Ainda nos demos o luxo de perder um pênalti.


Às 15:00 hs (aqui da Holanda) o Cruzeiro entrou em campo para jogar contra o time que desclassificou o Atlético Mineiro, o Bayer Leverkusen. Jogo duro contra jogadores altíssimos e super focados. No final da partida, Carioca, que é bem baixinho, suplantou os grandões do Bayer e marcou um belo e decisivo gol de cabeça.


Resultado final, Cruzeiro campeão mais uma vez! No próximo final de semana o Cruzeiro disputará o seu terceiro campeonato em terras holandesas na capital Den Haag.



Fonte: http://anisiociscotto.blogspot.com.br/2013/05/campeao-em-terborg.html?spref=tw

Título da Copa do Brasil de 1996!

Postado por Luiz Gustavo Ás 13:39
E aqui estou 17 anos depois daquela conquista, certo que nenhuma possível futura conquista terá a mesma emoção contida em uma só partida de futebol, que é capaz de suportar um só coração, músculo que naquele, 19 de Junho trabalhou um pouco mais que o habitual.

Cruzeiro contra o Palmeiras, a grande sensação do futebol nacional pelo futebol apresentado naquele ano, vitória pré-comemorada, notícias que toda festa após a vitória já estava a espera de mais um só caneco, o qual ainda que vazio serviria a alegria do time.

Talvez nem mesmo eu fosse capaz de acreditar na vitória, ainda que a acompanhar a partida pela TV, fogos comprados, os quais me prometia estourar quando algum gol houvesse para assegurar minha festa ao menos que por pouco tempo.

E logo aos 5 minutos do primeiro tempo já em desvantagem, a crença naqueles jogadores em campo estava a ser testada, até que em um lance sem qualquer perigo Roberto Gaúcho, pega a bola de um lance de escanteio e sai correndo em direção ao gol a abrir os olhos de todos já fatigados pela até então derrota, e chuta sem  ângulo algum e marca, e então os foguetes os quais pensava não poder usar celebraram a renovação da fé de um torcedor na vitória de seu time.

E assim o jogo difícil, truncado apenas estava por começar, Dida no gol como em muitas outras oportunidades a salvar bolas improváveis, Parque Antárctica verde pelo gramado e por toda torcida a apoiar seu time a poucos metros de distância, enquanto que de suas televisões, rádios, a torcida do Cruzeiro ouviu quase aos 40 minutos do segundo tempo, Marcelo Ramos, o maior atacante do Cruzeiro que pude assistir jogar, presenciar no estádio a marcar um gol, depois de muitas improváveis defesas era hora da mais provável defesa pelo goleiro adversário, Veloso, e ele falhou a deixar a bola livre pra que nosso atacante precisasse não chutar e sim deslizar de encontro à bola até as redes e fazendo assim muito mais que uma simples alteração no placar, uma espera pelo fim do tempo, um alívio ao torcedor.

Naquele dia eu vi o time ganhar muito mais que um título, uma taça, uma estrela qual ostentar no uniforme, e sim o tão quisto e caro sentimento de respeito, a nossa camisa a qual já se mostrava desbotada há algum tempo, no qual nunca pude vivenciar, por ainda ser novo e não ter visto muitos de nossos craques do passado em campo, de um time mediano a figurar em meio aos grandes por tradição do futebol brasileiro, vi o Cruzeiro se tornar algo que investimento de patrocinador, marketing, contratação qualquer não é capaz de fazer um time de futebol conquistar, pois nosso time não estragou a festa do Palmeiras naquele dia como foi noticiado no dia posterior, mas sim vencemos um jogo o qual tinha por ser disputado e não apenas jogado a espera do apito final, conquistando assim pelo sentido real e mais genuíno da palavra conquista, sobre tudo de bom e ruim, que nos fizeram melhores e contra todos em direções opostas que nos repeliram, o título do Cruzeiro mais importante para mim, a Copa do Brasil de 1996.